Busca

Road trippin' w ma 2 fav allies

Tag

papers

Altruísmo recíproco e Reciprocidade indireta

Paper aceito no “1st Workshop on Edge Computing”WEC’16 acontecerá em Nara, a antiga capital do Japão, em conjunto com o IEEE ICDCS 2016.

Neste artigo propomos um novo tipo de reciprocidade indireta entre os peers: a reciprocidade transitiva.

De maneira geral, podemos categorizar as decisões para interações entre os peers de uma comunidade como sendo baseadas em reciprocidade direta ou reciprocidade indireta. Assim como em sistemas P2P, baseamos nossas decisões do mundo real em acontecimentos que observamos que nos atingem de maneira direta ou indireta.

reciprocidade direta acontece quando dois indivíduos decidem se ajudar baseados em interações acontecidas entre eles. Ex: hoje eu estou prestando um favor a Pedro porque Pedro me ajudou ontem.

No nosso cotidiano isso é bastante comum. Uma situação clássica de reciprocidade direta que me veio a mente é a de “quem vai/deve lavar a louça?” :-). Atualmente divido apartamento com meu pai em Campina Grande e eventualmente eu lavo a louça pra ele (quando ele está cansado do trabalho) e ele me retribui esse favor quando o mesmo me acontece. A verdade é que eu deveria lavar a louça pelo simples fato de ele ser meu pai (com certeza ele diria isso.. hehehe), mas o principal motivo de lhes prestar esse favor é pelo simples fato de eu saber que ele fará o mesmo por mim num futuro próximo (baseado nos acontecimentos passados).

 

reciprocidade indireta, também conhecida por reciprocidade generalizada, acontece quando um indivíduo A ajuda um indivíduo B sem que B tenha ajudado A anteriormente. Em suma, A ajuda B baseado em algum fator externo.

A reciprocidade indireta baseada em reputação já foi alvo de extensas investigações no meio acadêmico, principalmente no contexto de sistemas P2P de larga escala como o compartilhamento de arquivos via torrent. Nesta abordagem, eu ajudaria Pedro porque João me falou anteriormente que Pedro é um cara legal, ou até mesmo pelo simples fato de eu já ter visto Pedro ajudando uma terceira pessoa. Logo, eu concluo que se eu ajudar Pedro, ele pode me retribuir esse favor mais adiante, embora ninguém possa me garantir que isso vai acontecer.

Uma outra abordagem seria a reciprocidade indireta baseada na corrente do bem. É bem provável que você já tenha assistido aquele filme “A corrente do bem” que o ator principal é aquele molequinho que vê gente morta em todo lugar.

A ideia é bem simples. Se alguém me prestar um favor eu devo passar esse favor adiante e assim propagar o bem. A expectativa é que esse favor me seja retribuído por uma pessoa diferente daquela que foi beneficiada por mim. Logo, se eu passar esse favor adiante, esse favor pode ser retribuído a mim posteriormente, embora ninguém possa me garantir que isso vai acontecer.

 

Chamamos a nova abordagem que estamos propondo de reciprocidade indireta baseada em transitividade. A ideia é que os favores sejam transitivos, como explicado a seguir.  Imagine a seguinte situação, João doa 10 unidades de favor para Pedro, Pedro doa 10 unidades de favor para mim. Nesse caso, o débito de Pedro com João é 10, e o meu débito com Pedro também é 10.

O que acontece se João me pede 10 unidades de favores:

  1. eu doo para João e atualizo o débito dele comigo para 10?
  2. eu não doo para João porque ele nunca me doou anteriormente?
  3. eu doo para João utilizando o “crédito transitivo” que existe entre eu, Pedro e João? (resp. correta seguindo a transitividade indireta)

Se Pedro deve 10 a João, e eu devo 10 a Pedro, a ideia é que quando eu prestar 10 unidades de  favor a João eu diga a João que o estou fazendo em nome de Pedro, assim João irá zerar o débito de Pedro. Eu preciso também avisar a Pedro que fiz um favor a João em seu nome, assim Pedro zera o débito que eu tenho com ele, e Pedro saberá que não deve mais a João.

Com isso, o sistema fica economicamente mais estável. Os débitos tendem a ser atenuados via transitividade e isto torna as pessoas/peers mais propensas a colaborar entre si. Essa abordagem pode ter efeitos significativos em comunidades razoavelmente pequenas e também quando existe na comunidade assimetria de interesses ou de estados. O primeiro ocorre quando clusters de peers não interagem entre si pois os produtos intercambeados não lhes interessam. O segundo acontece quando os estados de consumidor e provedor entre os diferentes peers não ocorrem em um mesmo momento, inviabilizando a cooperação.

Detalhes sobre o protocolo utilizado para evitar trapaças e resultados proporcionados pela reciprocidade transitiva são expostos no paper. Assim que sair a versão final eu disponibilizo aqui.

 

Title – Enhancing P2P Cooperation through Transitive Indirect Reciprocity

Abstract—The main objective of this paper is to introduce and show some results concerning a novel form of indirect reciprocity, called transitive reciprocity, extending an incentive mechanism for cooperation in P2P systems based exclusively on direct reciprocity, called the Network of Favors. We define transitive indirect reciprocity and show with the aid of simulation experiments its usefulness in certain scenarios where its absence might lead to a system collapse. Transitive reciprocity is thought for small and medium size networks, and for scenarios where repeated interaction among peers is more likely. In contrast to other forms of indirect reciprocity, it does not involve any issues of trust, resting exclusively on first hand knowledge acquired by each peer through direct interaction with other peers. The new mechanism will be implemented in Fogbow, a middleware that uses the Network of Favors to support the fair barter of virtualized computing resources in a federation of private Infrastructure-as-a-Service cloud providers.

Index Terms—direct and indirect reciprocity; incentive mechanisms; fairness; reciprocal altruism

 

 

Anúncios

Paper Accepted – Revista Informação & Sociedade

Paper resultante de nosso trabalho no LabTEVE para representação digital 3D do sítio arqueológico Itacoatiaras do Ingá.

Título: Iinformação Arqueológica de Ingá: preservação, acesso e uso a partir de um ambiente virtual

Resumo: A preservação do patrimônio histórico está associada a um conjunto de ações que envolvem governo e sociedade. Por meio do uso das tecnologias da informação e comunicação tornou-se possível reconstruir, registrar, divulgar e informar sobre sítios arqueológicos espalhados pelo mundo. Neste contexto, a distância deixou de ser um aspecto impeditivo e sistemas computacionais conectados à rede mundial de computadores permitem estender o acesso a sítios arqueológicos para difundir conceitos de sustentabilidade, preservação e valor histórico, dentre outros. Neste artigo é apresentado um trabalho realizado com o sítio arqueológico Itacoatiaras do Ingá, localizado na cidade de Ingá, no estado da Paraíba, Brasil. A partir da coleta de informações, foi realizado um estudo para categorizar tais informações e compor um ambiente tridimensional multimídia voltado à visitação virtual. Para isto foi reunida uma equipe multidisciplinar para desenvolver um sítio virtual voltado à divulgação do sítio arqueológico Itacoatiaras do Ingá por meio de um cenário tridimensional composto por imagens, textos e entrevistas sobre o local, sua história e suas estórias.

http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/13777

http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/download/13777/8217

Paper Accepted – Journal of Research and Practice in Information Technology (2012)

Primeiro trabalho publicado que é realmente da área do meu mestrado. Depois vejo se posso postar o pdf aqui. =)

Title: Accessibility as a Service: Augmenting Multimedia Content with Sign Language Video Tracks

Abstract:
In this paper we explore the concept of “accessibility as a service” by proposing a cloud computing service to help deaf people to access digital contents. The proposed service automatically generates and embeds a sign language video track into multimedia contents. The service organizes the collaboration of sign language experts to dynamically adjust the system that runs on a cloud computing infrastructure. As a case study, we made an implementation of the service for providing support for the Brazilian Sign Language (LIBRAS) and some preliminary tests with Brazilian deaf users to evaluate the proposed solution.

Keywords: accessibility; sign language; machine translation; multimedia contents; cloud computing; sign animation.

 

Citação:

ARAÚJO, T. M. U., FERREIRA, F. L. S., SILVA, D.A.N.S., FALCÃO, E. L., DANTAS, L., DOMINGUES, L. A., LOPES, L. H. E., SATO, Y., LIMA, H. R., DUARTE, A. N., SOUZA FILHO, G. L.

Accessibility as a Service: Augmenting Multimedia Content with Sign Language Video Tracks. Journal of Research and Practice in Information Technology. , 2012.

Paper Accepted – Einfo 2011

Short paper produzido na cadeira de Tópicos Especiais em IHM.

Title: Um Estudo sobre Estilos de Interação para Auxílio ao Processo Fisioterápico

Paper Accepted – CSBC (WEI) 2011

Em um dos posts anteriores já havia comentado sobre esse projeto em que eu, Erick, Berg, Kívio, Igor, Glauco e o prof. Hamilton trabalhamos.
Já estamos trabalhando para disponibilizá-lo na Web, para que ele possa ser utilizado por everybody.
=P

Title: Ambiente de Simulação Gráfica 3D para Ensino da Arquitetura de Processadores

Resumo:
Em arquitetura de computadores, um dos desafios é conseguir que os alunos compreendam o funcionamento de um processador corretamente. Para auxiliar esta tarefa são utilizadas aplicações que simulam essas arquiteturas. A partir dessas barreiras do ensino, se propôs desenvolver uma aplicação que simula visualmente as instruções de uma arquitetura didática e implementável. Tais instruções podem ser visualizadas, tanto com quanto sem pipeline, o que facilita a compreensão desse conceito, e do funcionamento de um processador enquanto realiza uma instrução.

Abstract:
In Computer Architecture, one of the challenges is getting the students to understand the workings of a processor correctly. To assist in this task, applications are used to simulate these architectures. From these barriers of education, is proposed the development of an application that visually simulates the instructions of an implementable and didactic architecture. Such instructions can be visualized, both with and without pipeline, which facilitates the comprehension of this concept, and of the operation of a processor while executing an instruction.

Paper Accepted – SVR 2011

Title: Multiprojeção por Clusterização de Visualização de Ambientes Virtuais com o Xj3D

Resumo:

Sistemas de multiprojeção visam particionar a imagem de modo a oferecer diferentes configurações de visualização em mais de um monitor. O presente trabalho tem como objetivo apresentar uma solução de multiprojeção para visualização de ambientes virtuais tridimensionais no padrão X3D. Utilizando o browser Xj3D, de código aberto, em conjunto com a LibGlass, é apresentado o resultado obtido com a descrição das etapas de desenvolvimento.

Abstract:

Multiprojection systems aims the partition of images to offer different visualization configurations into multiple displays. This work has as goal to present a solution for multiprojection of virtual environments developed following the X3D standard. Thus, the description of steps necessary is presented for the use of the Xj3D, an open source browser, with the LibGlass for visualization clustering.

http://www.lbd.dcc.ufmg.br/bdbcomp/servlet/Trabalho?id=12458
http://www.lbd.dcc.ufmg.br/colecoes/svr/2011/0010.pdf

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑